Escoliose do Adulto 

Estudos apontam que até 68% da população acima de 60 anos é portadora de deformidade na coluna vertebral, associando a sua presença a dor e incapacidade funcional. A escoliose do adulto pode acontecer devido a progressão da escoliose idiopática, ocorrida na infância ou juventude, ou devido a degeneração e instabilidade dos segmentos vertebrais sendo, nesses casos, chamada de escoliose degenerativa. 


No adulto a deformidade costuma ter maior rigidez, progressão da curva e comorbidades associadas. A dor é o sintoma mais frequente, principalmente nos pacientes com curvas lombares. Sintomas neurológicos, como radiculopatias, também são comuns. 


Pacientes com sintomas leves têm a indicação do tratamento conservador, com fisioterapia, prática de atividades físicas e medicações. A cirurgia é indicada principalmente para casos graves, que não melhoram com tratamento conservador ou que apresentam sintomas neurológicos.