Escoliose Idiopática 

É a causa mais comum e atinge principalmente crianças sadias, que não apresentam nenhuma causa para a deformidade na coluna. Pode se apresentar em forma leve ou grave. Alguns estudos avaliam a possibilidade de herança genética para a alteração, mas ainda não se sabe qual gene seria o responsável. 
Ela é subdividida em diferentes tipos, de acordo com a idade do diagnóstico: infantil de 0 a 3 anos, juvenil de 4 a 10 anos, adolescente dos 11 aos 17 anos e, a partir dos 18, adulta. A predominância maior é em adolescentes (89% dos casos). 
Nas crianças entre 4 e 10 anos, a escoliose tem maior risco de progressão, com possibilidade de comprometimento pulmonar ou cardíaco. A escoliose idiopática no adolescente é o tipo mais comum de deformidade e é associada ao estirão de crescimento. As meninas, geralmente, apresentam casos mais graves.